Participação do pré-sal na produção nacional de óleo e gás é recorde

Em setembro de 2018, a produção de petróleo e gás do Brasil foi de aproximadamente 3,196 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d), sendo o pré-sal responsável por 1,783 milhão de boe/d. A participação do pré-sal na produção total nacional em setembro, de 55,8%, é a maior registrada até hoje, e apresentou um aumento de 3,7% em relação ao mês anterior. Em 85 poços, o pré-sal produziu 1,419 milhão de barris de petróleo por dia e 58 milhões de metros cúbicos diários de gás natural. Os dados de produção de setembro estão disponíveis na página do Boletim Mensal da Produção de Petróleo e Gás Natural.

Ao todo, no país, foram produzidos 2,486 milhões de barris de petróleo por dia (bbl/d), uma redução de 1,4% na comparação com o mês anterior e de 5,9% se comparada com setembro de 2017. Já a produção de gás natural totalizou 113 milhões de m³ por dia, um aumento de 6,1% em comparação ao mês anterior e uma redução de 0,9%, se comparada com o mesmo mês de 2017.

Foram responsáveis pela produção nacional, em setembro, 304 áreas concedidas, uma área de cessão onerosa e uma de partilha, operadas por 28 empresas,. Destas, 74 são marítimas e 232 terrestres. Do total das áreas produtoras, uma encontra-se em atividade exploratória e produzindo através de Teste de Longa Duração (TLD) e outras 9 são relativas a contratos de áreas contendo acumulações marginais.

Gás natural

O aproveitamento de gás natural no Brasil no mês de setembro alcançou 97,2% do volume total produzido. Foram disponibilizados ao mercado 56,4 milhões de metros cúbicos por dia. A queima de gás totalizou 3,1 milhões de metros cúbicos por dia, uma redução de 0,6% se comparada ao mês anterior e de 7,7% em relação ao mesmo mês em 2017.

Campos produtores

Os campos marítimos produziram 95,7% do petróleo e 76,5% do gás natural. A produção ocorreu em 7.456 poços, sendo 712 marítimos e 6.744 terrestres. Os campos operados pela Petrobras produziram 92,2% do petróleo e gás natural em setembro. O campo de Lula, na Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás natural: foram, em média, 851 mil bbl/d de petróleo e 35,5 milhões de m3/d de gás natural.

Estreito, na Bacia Potiguar, teve o maior número de poços produtores: 1.129. Marlim Sul, na Bacia de Campos, foi o campo marítimo com maior número de poços produtores: 94.

A Plataforma Petrobras 66, produzindo no campo de Lula por meio de sete poços a ela interligados, produziu 148 mil barris diários e foi a instalação com maior produção de petróleo. A instalação Polo Arara, produzindo nos campos de Arara Azul, Araracanga, Carapanaúba, Cupiúba, Rio Urucu e Sudoeste Urucu, por meio de 41 poços a ela interligados, produziu 8,4 milhões de m3/d e foi a instalação com maior produção de gás natural.

Outras informações

O grau API médio do petróleo extraído foi de 27,3, sendo 38,6% da produção considerada óleo leve (>=31°API), 46,4% óleo médio (>=22 API e <31 API) e 14,9% óleo pesado (<22 API).

As bacias maduras terrestres (campos/testes de longa duração das bacias do Espírito Santo, Potiguar, Recôncavo, Sergipe e Alagoas) produziram 110,0 mil boe/d, sendo 87,2 mil bbl/d de petróleo e 3,6 milhões de m3/d de gás natural. Desse total, 105,5 mil barris de óleo equivalente por dia foram produzidos pela Petrobras e 4,5 mil boe/d por concessões não operadas pela Petrobras, sendo 311 boe/d em Alagoas, 2.380 boe/d na Bahia, 19 boe/d no Espírito Santo, 1.548 boe/d no Rio Grande do Norte e 205 boe/d em Sergipe.

Ativos da União

O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) estabeleceu nova resolução com revisões de regras e diretrizes para venda dos volumes de petróleo da União nos contratos de partilha de produção pela empresa Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA). A medida viabiliza a contratação do agente comercializador e incentiva a venda preferencialmente por leilão com objetivo de maximizar os benefícios arrecadatórios para sociedade brasileira. Com a proposta, fica revogada a Resolução Nº 12, de 14 de dezembro de 2016, que estabelece a política de comercialização do petróleo e do gás natural da União.

Com informações da ANP e do MME.

Foto: Pixabay/CC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.