Segundo Leilão de Petróleo da União acontece dia 31 de agosto

O pré-edital do 2º Leilão de Petróleo da União foi publicado nesta terça-feira (17/7), no site da Pré-Sal Petróleo (http://www.presalpetroleo.gov.br/ppsa/leiloes-de-petroleo/2-leilao). O leilão será realizado no dia 31 de agosto, às 12h, na Bolsa de Valores (B3) em São Paulo. O pré-edital está aberto para consulta pública até o dia 25 deste mês, período em que a empresa receberá sugestões e responderá a dúvidas.

Serão ofertados cerca de 3 milhões de barris de petróleo oriundos da Área de Desenvolvimento de Mero (1,8 milhão de barris) e dos Campos de Lula (1,1 milhão de barris) e Sapinhoá (115 mil barris). Os três contratos, que poderão ser adquiridos por um único comprador ou por empresas diferentes, serão leiloados em uma única sessão pública. O valor para aquisição dos contratos terá como base o Preço de Referência do Petróleo (PRP) calculado mensalmente pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O vencedor poderá obter toda a produção do respectivo campo durante um ano, remunerando a União a cada retirada de carga, de acordo com a proposta de preços ofertada no leilão.

A sessão pública do 2º Leilão de Petróleo da União poderá acontecer em duas etapas: a primeira, de maior de ágio, e a segunda de menor deságio. Ambas poderão ter lances em viva voz.

As empresas poderão participar do leilão isoladamente ou em consórcio. Empresas estrangeiras poderão participar em consórcio liderado por empresa brasileira. Caso a empresa estrangeira não esteja estabelecida no Brasil, deverá comprovar que atua em conformidade com seu país de origem e apresentar procuração comprobatória de representação legal no Brasil.

As empresas brasileiras deverão comprovar que estão autorizadas a comercializar petróleo, e que possuem capacidade técnica e operacional de carregar o petróleo da União, com navio de posicionamento dinâmico habilitado a operar nas Bacias de Campos e Santos.

Não há limite de número de consorciados para formação do consórcio, que também poderá contar com a participação de fundos de investimento. Mas não será permitida a participação da mesma empresa (suas coligadas, controladora, ou sob controle comum, isoladamente, ainda que com participações ou membros distintos entre si) na disputa de um mesmo lote.

 

Conheça os lotes

Área de Desenvolvimento de Mero

Para o período de um ano, a produção estimada da União que será leiloada é de 1,8 milhão de barris de petróleo. A 170 quilômetros do litoral do estado de Rio de Janeiro, a área faz parte da Bacia de Santos e é explorada por um consórcio formado pela Petrobras (operadora, com 40%), Shell (20%), Total (20%), CNPC (10%) e CNOOC (10%).

Sapinhoá

Para o período de um ano, a produção estimada da União que será leiloada é de 115 mil barris de petróleo. A área faz parte da Bacia de Santos e é explorada por um consórcio formado pela Petrobras (operadora, com 45%), Shell (30%) e Repsol (25%).

Lula

Para o período de um ano, a produção estimada da União que será leiloada é de 1,1 milhão de barris de petróleo. O campo de Lula, do consórcio BM-S-11, é operado pela Petrobras (65%), com os sócios Shell (25%) e Petrogal (10%).

 

Com informações da Pré Sal Petróleo e da TNPetróleo.

Imagem: Pré Sal Petróleo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.